Nos idos dos anos 20 do século passado, um grupo seleto de intelectuais e artistas do Uruguai e da Argentina resolveu forjar uma aliança que prestigiasse o intercâmbio cultural entre seus países. Era o início de uma instituição cuja idéia matriz determinaria a consolidação de uma das mais venerandas entidades culturais do Cone Sul, a Academia Latino-Americana de Arte (ALA).
Em pouco tempo suas raízes estenderam-se ao Chile e ao Paraguai, quando essa parceria cultural, com a troca de informações artísticas e intelectuais, intensifica-se em intercâmbio constante.
Recentemente, ampliando a idéia do fortalecimento das culturas hispânicas, intelectuais e artistas uruguaios como Rafael Mora e Carlos Páez Vilaró, atual presidente de honra da ALA, procuraram expandir esse intercâmbio ao Brasil e demais países latino-americanos. Entrosados com o universo artístico brasileiro, suas atenções se voltam para nomes consagrados nesse segmento cultural e Fabio Porchat é convidado a dirigir a ALA/Brasil.